Interpretation of clay mineral associations of Quaternary sediments at Alto Ribatejo (Central Portugal)

  • Hugo Gomes
  • Pedro P. Cunha
  • Pierluigi Rosina
  • Luiz Oosterbeek
Palavras-chave: Alto Ribatejo, Quaternário, Mineralogia de Argilas, DRX

Resumo

A investigação realizada no Alto Ribatejo (Portugal Central, no Oeste da Península Ibérica), tem como objectivo a contextualização de vestígios arqueológicos do Pleistocénico final e início do Holocénico. Vários depósitos quaternários foram analisados em termos da mineralogia da fracção arenosa (observação microscópica) e mineralogia de argilas (difracção de raios X de agregados orientados).

O registo sedimentar atribuído ao intervalo ~ 30-12 ka (períodos Último Glacial e Tardi-glacial) é representado por coluviões e depósitos de areias eólicas com predomínio de ilite, a qual é progressivamente substituída por vermiculite e alguma caulinite ou esmectite, nos níveis estratigráficos superiores dos depósitos Holocénicos. Os dados obtidos indicam condições de frio e seca durante a última era Glacial / Tardiglacial, e um clima temperado no Holocénico.

Publicado
2012-10-31
Como Citar
Gomes, H., Cunha, P. P., Rosina, P., & Oosterbeek, L. (2012). Interpretation of clay mineral associations of Quaternary sediments at Alto Ribatejo (Central Portugal). Estudos Arqueológicos De Oeiras, 19, 223-230. Obtido de https://eao.cm-oeiras.pt/index.php/DOC/article/view/226