Estudo arqueometalúrgico das dádivas funerárias dos hipogeus do Bronze Pleno do Sudoeste da Horta do Folgão (Serpa, Portugal)

  • Pedro Valério
  • Rui J. Cordeiro Silva
  • Teresa R. Nunes da Ponte
  • Maria de Fátima Araújo
  • António M. Monge Soares
Palavras-chave: Bronze Pleno, cobre arsenical, cadeia operatória

Resumo

A intervenção arqueológica na Horta do Folgão (Serpa) resultou de trabalhos de minimização de impactos sobre o património cultural, tendo sido escavados, entre outras estruturas, três hipogeus funerários do Bronze Pleno do Sudoeste. As dádivas funerárias incluíam um punção (hipogeu 2) e uma espada com seis rebites (hipogeu 3). Esta constitui um artefacto raro em contextos com a cronologia atribuída pelo radiocarbono para estas estruturas (1800-1600 a.C.). Os artefactos foram analisados para determinar a sua composição elementar (macro e micro-EDXRF) e a cadeia operatória utilizada (OM e SEM-EDS). Os resultados indicam que são constituídos por cobre com teores variáveis de arsénio (1,6% para o punção e 4,3% para a espada) integrando-se perfeitamente na metalurgia daquela época. A manufactura envolveu operações de martelagem e recozimento, sendo o tratamento térmico algo rudimentar no punção, mas bastante eficiente na espada. Para além disto, a deformação da lâmina foi mais intensa no gume e na área distal, para aumentar a sua dureza. Este estudo constitui um bom exemplo da aplicação de uma metodologia com afectação desprezável em artefactos de elevado valor arqueológico e museológico, de modo a compreender a evolução da metalurgia pré-histórica no território nacional.

Publicado
2012-10-31
Como Citar
Valério, P., Silva, R. J. C., Ponte, T. R. N. da, Araújo, M. de F., & Soares, A. M. M. (2012). Estudo arqueometalúrgico das dádivas funerárias dos hipogeus do Bronze Pleno do Sudoeste da Horta do Folgão (Serpa, Portugal). Estudos Arqueológicos De Oeiras, 19, 203-208. Obtido de https://eao.cm-oeiras.pt/index.php/DOC/article/view/224